quarta-feira, 30 de maio de 2012

CONFIRA REDAÇÕES NOTA DEZ DO ENEM



A nota na redação do Enem pode ser decisiva para alcançar uma boa pontuação na prova. E a boa notícia é que, para ser um dos campeões da redação do exame, não é preciso alcançar o erro zero de ortografia. O que é cobrado do aluno é a capacidade de escrever um texto coeso, argumentativo e de acordo com a proposta da prova que, no ano de 2006, foi "O desafio de se conviver com a diferença", conforme se lê a seguir:


Confira duas redações nota dez do Enem de 2006, extraídas do site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), entidade responsável pelo exame, e saiba porque elas alcançaram a nota máxima.

O valor da diferença

O desafio de se conviver com a diferença na sociedade é complicado, mas necessário. Diante da grande pluralidade cultural e étnica que se choca com freqüência no mundo globalizado é preciso, além de tolerância, respeito incondicional aos direitos humanos.
Diariamente, nos deparamos com pessoas das mais variadas culturas, opiniões e classes sociais. Muitas vezes, são nossos vizinhos, colegas e amigos. Essa convivência enriquece nossas vidas, pois aprendemos a respeitar o nosso próximo, nos tornando pessoas mais fraternas. Porém nem sempre essa relação acontecem facilmente fatos divulgados pela mídia nos mostram que, para alguns ainda, a simples diferença fenotípica gera discriminação e violência, como no caso do brasileiro que foi confundido com um terrorista em Londres. Ele foi brutamente exterminado pela polícia inglesa por ter feições diferentes da maioria dos britânicos.
Para o bom funcionamento das sociedades, a diferença precisa ser respeitada. Nas relações econômicas internacionais, se lida com diferentes culturas ao menos tempo. Não há espaço para discriminação para quem quer ser competitivo no mercado.
É imprescindível que a convivência com a diferença aconteça de maneira saudável. O valor da vida humana independe dos nossos credos ou cor. Além de garantir o convívio entre as pessoas, tolerar as diferenças nos coloca no caminho da prosperidade, fortalecendo a esperança de viver num mundo melhor.

Por que o texto foi nota dez? - Segundo a professora de língua portuguesa Nara Martins, apesar de pequenos erros de português, como de concordância em "nem sempre essa relação acontecem", o texto apresenta exatamente o que é exigido pela banca do Enem. "São cobradas do aluno cinco competências: domínio da norma culta, compreensão e desenvolvimento do tema, capacidade de selecionar informações para defender um ponto de vista, capacidade de argumentação e de propor uma solução para o problema. Ou seja, o peso que é dado para a construção do texto coeso é muito maior", afirma, explicando que é o caso da redação nota dez.
"A redação apresenta um problema: o desafio de conviver com as diferenças no mundo globalizado; desenvolve o raciocínio com exemplos (o brasileiro assassinado em Londres); e finaliza com uma solução para o problema, respeitar as diferenças para ter competitividade no mercado global. Assim, o texto tem início, meio e fim", explica.

A Necessidade das Diferenças

De acordo com a Teoria da Educação das Espécies, o que possibilita a formação do mundo como conhecemos hoje foi a sobrevivência dos mais aptos ao ambiente. A seleção natural se baseia na escolha das características mais úteis. Estas somente se originam a partir das diferenças determinadas por mutações em códigos genéticos com o passar do tempo.
Se no âmbito Biológico as variações são imprescindíveis à vida, no sociológico não é diferente. Uma vez todos iguais, seriamos atingidos pelos mesmos problemas sem perspectiva de resolução, já que todas as idéias seriam semelhantes.
A maioria das pessoas está inserida em um contexto social. Contudo grandes inovações se fazem a partir do reconhecimento da individualidade de seus integrantes. Assim é de nossa responsabilidade respeitar nossos semelhantes independentes do sexo, raça, idade, religião, visto que dependemos mutuamente.
Obviamente nem todas as diferenças são benéficas. Por exemplo, a diferença entre classes sociais não poderia assumir tal demissão. Para somá-la, necessitamos de uma melhor distribuição de renda aliada a oportunidades de trabalho, educação e saúde para todos.
Devemos nos conscientizar que somos todos iguais em espécie mas conviver com as diferenças (por mais difícil que pareça), pois elas nos enriquecem como pessoas. Nossos esforços devem ser voltados contra discriminações anacrônicas e vis, como o racismo ou perseguições religiosas. Estas não nos levam a lugar algum, apenas nos desqualificam como seres humanos.

Por que o texto foi nota dez? - "Apesar de versar sobre o mesmo tema, as diferenças, a redação seguiu uma linha de raciocínio completamente diferente", comenta Nara. "O que provavelmente mais chamou a atenção dos professores que corrigiram o texto foi a originalidade da argumentação. O aluno partiu da biologia para justificar as diferenças entre os seres humanos, e desenvolveu um raciocínio coeso para concluir que, se as diferenças devem ser respeitadas, também devem ser dirimidas quando forem prejudiciais."


Respeito a Vida


Durante bilhões de anos, segundo Darwin, a vida vem se diferenciando por meio de processos evolutivos, através das quais surgiu o homem, portanto somos fruto da diferença. Embora pertençamos à mesma espécie, aspectos étnicos culturais nos diferenciam uns dos outros. Dificilmente iremos concordar com todas as manifestações culturais a que seremos expostos, porém temos de respeitar a todas, o que só acontecerá com a educação e com a civilização do individuo.
Para compreendermos um determinado povo ou costume e necessário entendê-lo. Para entendê-lo e preciso estudá-lo. A escola de qualidade proporciona um aprendizado dos motivos pelos quais uma determinada cultura age desta ou daquela maneira. Não da para entender o bumba-meu-boi sem saber quais são as raízes históricas e a formação da população do Amazonas. O ensino também ajuda a moldar a ética através de valores morais, como a da cidadania.
As várias liberdades, de religião, de imprensa, de opinião, estão estabelecidas na constituição de nosso país e respeitá-las é de nosso dever e exercê-las é nosso direito. No entanto, as nossas liberdades não devem ferir as liberdades alheias, temos, como cidadãos, de respeitar a opinião, o costume e os valores dos outros. A civilização da pessoa implica, entre outras coisas, na aceitação, no respeito e na convivência com os outros cidadãos.
Somos diferentes, mas somos todos oriundos de uma mesma diferença, a vida. Respeitar o outro, independente de sua cor, credo ou cultura, é, alem de uma questão ética e legal, é respeito à própria vida.


Redação Terra e O Globo Online


2 comentários:

  1. Sou professora de redação em pré-vestibulares de Porto Alegre e estava procurando exemplos de redação nota mil nas edições anteriores do Enem e me deparo com a MINHA redação nota mil, de dez anos atrás, analisada gentilmente por ti, professor Gustavo. Grande abraço!

    ResponderExcluir