sexta-feira, 10 de maio de 2013

COMO ENCONTRAR OS ARGUMENTOS?



Uma das questões mais complicadas para os estudantes – e pouco ensinada em sala de aula – é como achar os argumentos pertinentes para que seja desenvolvida, fundamentada, a tese (ponto de vista) do texto dissertativo-argumentativo.

É necessário se amparar em bons e contundentes argumentos, fatos, exemplos, dados etc., para defender essa tese acerca do assunto proposto: se o redator é contrário, se é favorável ou se é de neutralidade.

E é justamente nesse ponto que “o bicho pega”! A dificuldade, é claro, justifica-se pela pouca leitura prévia (jornais, revistas, livros, além de telejornais e sites informativos) e pouca prática de escrita, para nossa infelicidade!

Mas a estratégia para encontrarmos os argumentos de um tema dado em uma prova de redação em um concurso ou um vestibular, é extremamente simples:

De posse de um assunto qualquer, como:

“A educação pública brasileira agoniza”

Nós devemos fazer uma pergunta que é a mágica dos questionamentos filosóficos de todos os tempos:

“Por quê?”

As respostas possíveis encontradas para tal questão podem ser as seguintes:

- As más administrações escolares;
- O alto índice de evasão;
- Os professores descomprometidos e desestimulados;
- O baixo investimento do governo/do PIB;
- As escolas sucateadas;
- A baixa remuneração dos profissionais da área;
- O não reconhecimento do profissional da educação;
- O interesse político em manter a desinformação...etc...etc...

Enfim, são inúmeras e infindáveis as ideias secundárias (argumentos, fatos, exemplos) que se pode deparar sobre o tópico frasal. As que foram citadas acima de forma alguma são as únicas possíveis.

Pronto! Agora é só montar o parágrafo de introdução, início e ponto de partida do seu texto.

Lembrando que o tema nunca poderá ser colocado como título, tampouco ser copiado literalmente pelo escrevente, poderíamos começar a nossa dissertação da seguinte forma:

Todos sabem que a educação brasileira, notadamente a pública, sofre com a baixa qualidade, o que a torna longe dos padrões de países desenvolvidos. Alguns motivos que justificam isso é o parco investimento do governo, a desmotivação e o descompromisso dos docentes, além das escolas sucateadas, muitas sem água, sem carteiras e até mesmo sem professores.”

Eis uma possível introdução: o tema e a tese expressos no início do texto (tema: educação brasileira; tese: sofre com a baixa qualidade) e os argumentos finalizando (apenas sendo citados) a parte inicial.

No desenvolvimento, parte que se seguirá, cada argumento será devidamente detalhado, trabalhado, aprofundado, um por parágrafo, para realmente fundamentar toda a ideia do texto. Pode ser redigido do argumento principal para os secundários; parágrafo causal e de consequência; de prós e contras; hipótese, tese, antítese, síntese; argumentos históricos, entre tantos outros.

O desenvolvimento é considerado, portanto, o marco teórico da redação dissertativa.

Agora é só treinar.

Boa sorte!

5 comentários:

  1. show de bola parceiro será uma boa ajuda para o meu concurso, abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  2. Professor, uma dúvida: essa ideia de usar na introdução (como seu exemplo acima) uma afirmação generalizada ("Todos sabem...", "É notório..") sem que o autor tenha como provar isso, num é prejudicial não? Visto que, já li conselhos de que não devemos usar termos assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc ta precisando estudar mais não se diz num se diz não

      Excluir
    2. e não se diz mais se diz mas(oposição).

      Excluir