sexta-feira, 8 de março de 2013

OS CONECTIVOS: PREPOSIÇÃO & CONJUNÇÃO


preposição

         Preposições: ligam palavras e orações, isoladamente NÃO possuem função sintática, possuem na frase um valor semântico.
         A função da preposição é subordinar um termo ao outro.

Ex: O chefe da nação sentiu-se ameaçado.

Classificação das preposições

As preposições podem ser:

         Essenciaisa, ante, até, após, com, contra, de desde, em, entre, para, perante, por,sem, sob, sobre.
         Acidentais – afora, consoante, durante, exceto, fora, mediante, salvo, senão, visto.
         Locuções Prepositivas – ao lado de, antes de, além de, com respeito a (...) *Na LP, a última palavra sempre é uma preposição.

Exemplos:   Lutou contra mim.
                    Confiava a mim seus segredos.
                    Todos comeram, salvo tu.

Relações semânticas da preposição

         As preposições podem exprimir vários sentidos:
1- Modo – Comeu um bife a cavalo.
2- Preço – A casa foi avaliada em 1 bilhão.  
3- Direção – Atirou-se sobre o herói.
4- Companhia – Foram viajar com os amigos.
5- Instrumento – Martelava com o ferro.
6- Procedência – Vim de Paris.
7- Assunto – Falou sobre linguística.
8- Tempo – Por dez anos vivi em Londres.
9- Lugar – Cantava pelos bares da vida.
10- Posição inferior – O livro estava sob a carteira.
11- Posição superior – O livro estava sobre a carteira.

Coesão e preposição

         Confio em você.
        regente  +   regido

Observe:
         Dá-se chance a garoto com curso primário completo, que saiba conversar com adultos, de cuidar de enfermos em descanso na praia. 
(Quando o termo regente está distante do termo regido há problemas de coesão).

Conjunção

A conjunção, além de ligar palavras ou orações, dá uma direção argumentativa ao texto e estabelece uma relação semântica entre as orações.
 As conjunções podem ser:
1- Coordenativas
2- Subordinativas

Conjunções coordenativas

1- Aditivas: ideia de soma, adição. Ex: Saio feliz e volto cansada. ( e, nem, mas também...)
2- Adversativas: ideia de oposição, contraste. Ex: Estarei em casa, mas não vou atendê-lo. ( mas, porém, todavia,contudo, no entanto...)
3- Alternativas: ideia de alternância. Ex: Caso ou viajo? (ou...ou, ora...ora, quer...quer)
4- Conclusivas: ideia de conclusão de um pensamento. Ex: Ela é nova, portanto não irá namorar. ( logo, portanto, por isso, pois ( após o verbo) . Ex: Ela é catanduvense, é, pois, boa gente.
5- Explicativas: ideia de explicação, razão, motivo. Ex: Não brinque com fogo, porque é perigoso. (porque, que, pois (antes do verbo) – Ela passou no vestibular, pois estudou muito.

Conjunções subordinativas – classificação

1- Integrantes – fazem parte da regência de um verbo ou nome; integram uma oração substantiva. EX: Eu disse que ele viria. ( que/ se).
2- Causais – exprimem causa, razão. Toda causa pressupõe uma consequência. Ex: Como ela gritou não disse nada. ( porque, que, pois, visto que, já que, uma vez que).
3- Comparativa – ideia de comparação. Ex: João teimou como um burro. (como, mais que, pior que, melhor que...)
4- Concessivas – fato contrário ao que se encontra na oração principal, ainda que não seja suficiente para anulá-lo. Ex: Vou ao baile, mesmo que chova. (embora, se bem que, mesmo que, ainda que, conquanto...)
5- Condicionais – ideia de condição, hipótese. Ex: Desde que comesse, eu cozinharia. ( se, caso, desde que, contanto que...)
6- Conformativas – ideia de concordância, conformidade. Ex: Conforme lhe disse, viajarei amanhã. ( segundo, conforme,como)
7- Consecutivas – consequência, efeito do que foi expresso anteriormente. Ex: Ela comeu tanto que passou mal. (que – acompanhado de tão...que, tanto...que, tamanho...que, tal...que)
8- Temporais – ideia de tempo. Ex: Mal o filme começara, ela sentiu-se mal. (quando, mal, logo que, sempre que, assim que...)
9- Finais – ideia de finalidade. Ex: Estudamos bastante a fim de que passássemos no vestibular.
10- Proporcionais – ideia de proporcionalidade, simultaneidade. Ex: Quanto mais economizava, mais sentia prazer. (à proporção que, à medida que, quanto mais, quanto menos...)

Polissemia das conjunções

Polissemia – os vários sentidos, valores semânticos diferentes, dependendo o contexto.

MAS – Terás o dinheiro, mas apenas parte dele. (restrição)
            Falou com a professora, mas arrependeu-se. (retificação)
            Estava triste, mas disfarçava. (atenuação)
            Estudou muito, mas foi reprovada. ( não compensação)
            Perdeu o ano, mas conheceu vários países. (compensação)
            Mas e o seu pai? Deixou? (situação, assunto)

Polissemia das conjunções: E / COMO/SE

E – Estudou muito e foi reprovado. (oposição).
      Estudou muito e passou.  (conclusão, consequência.)
      Era homem e muito homem! (explicação enfática)
      Saiu do escritório e foi para casa. (adição)
      E o Palmeiras? Ganha o campeonato? (assunto/ situação)
COMO – Dormia como um anjo. (comparação)
      Como era pobre não pode estudar. (causa)
      Ensinava os colegas como o mestre o orientou. (conformidade) 

SESe não foi uma ofensa a todos, ainda assim insultou os jovens. (concessão)
     Se não chover irei a sua casa. (condição). 

23 comentários:

  1. Muito bom! Bem explicativo. Ajudou muito.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Olha é uma bela explicação mas, a preposição não liga duas oraçoes , só apenas dois termos ou seja duas palavras, por que o unico das classes Gramaticais é a Conjunção.

      Excluir
    2. Andou para chegar tarde. O para é preposição e liga duas frases.

      Excluir
  3. olha, tenho procurado em váriossssssss sites, esse foi o melhor! Parabéns.
    Para ser perfeito, só faltou uma lista de exercícios resolvidos.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, o melhor site. E olha que procurei em muitos.
    Para ser perfeito só faltou uma lista de exercícios resolvidos.
    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  5. Estou com uma dúvida. Uma professora corrigiu um trabalho da faculdade que escrevi e apontou que não posso iniciar uma frase com o conectivo, pois apontou como erro. Pode verificar abaixo o trecho e me explicar o porquê, por favor. Grata!!! :)

    "Dessa forma, nota-se que ao retratar, por exemplo, em As duas são uma só um homem que ama a irmã a mais velha mas não consegue tê-la para si e ao reencontrar a irmã mais nova dessa e por ela transferir seu amor platônico da primeira para a segunda, o que se pode concluir não que o jovem rapaz seja um pervertido ou coisas do gênero, mas o que se nota é que com isso Restif trabalha valores como a questão do amor universal que supera o ímpeto da paixão e da volúpia, pois esses mesmos sentimentos também o são no campo social que impera nas ideias revolucionárias. Que ao transpor seu sentimento de uma para outra, ou mais ainda, capaz de manter pelas duas o mesmo sentimento denota que pelo bem estar de todos é capaz de harmonizar e estabelecer valores que devem reger a todos os seres em função de um bem comum a esses."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jana,
      Vejo no seu texto problemas de pontuação, mas nenhum com conectivo, nem no início, nem no meio e final.
      A gramática diz que devemos evitar certas conjunções no início do parágrafo, como o mas, porém, todavia, contudo etc. Mas não o "Dessa forma", que é correto, faz ligação com o que se disse antes e com o que se dirá depois...
      Valeu,

      Excluir
    2. Olá Prof Gustavo,

      Grata pelo retorno. :)
      No caso o erro que ela apontou foi referente ao trecho: Que ao transpor seu sentimento de uma para outra. Apontando que eu não posso iniciar uma frase com o que.

      Um abraço

      Excluir
    3. Gustavo, foi empregado, na sua resposta o termo "final". Sabendo que o oposto de "inicial" é "final", observa -se que o correto, gramaticalmente, seria empregar o termo "fim" (oposto de "início").

      Att.: Cayê

      Excluir
  6. Realmente muito bom o texto.
    Fiquei com uma duvida, as preposições fazem os termos subordinados uns aos outros, o primeiro fica subordinado ao segundo ou o contrário? Ex jovens com uma missão. Quem esta subordinado a quem? Grato

    ResponderExcluir
  7. Algume sabe por que se usa o "de", "da", "do" nos nomes?
    Ex: Francisca da Cunha e silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. da e do são contrações.Isto é: "de com a" vira DA;"de" com "o" vira DO.
      Neste casa seria,supostamente,Francisca de a família Cunha e Silva,já na forma contraída que é a usual.. Francisca DA Cunha e Silva.
      Espero ter sido útil

      Excluir
  8. Obrigada pela explicacao, mas eu gostaria de saber se existe uma lista completa de preposicoes e locuções prepositivas: por exemplo gostaria de saber se "por causa de", semanticamente equivalente a "porque" e' uma locucao prepositiva ou uma locucao conjuncional subordinativa.

    ResponderExcluir
  9. É uma locução conjuntiva coordenativa com valor explicativo.

    ResponderExcluir
  10. Olá. Na condição "Bia se recusa a trabalhar com Fábio e Marcos'', eu não entendi se Bia se recusa a trabalhar em uma equipe que tenha os dois simultaneamente ou se ela recusa a trabalhar na equipe que tiver qualquer um dos dois (Fábio e Marcos). Por favor, aguardo esclarecimento. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, vc pode responder ao Rosimar ai? Ou arranjou outro emprego?

      Excluir
  11. Não sei quem fez isso mas ta muito otimo essa passoa e muita esperta e boa pra da aprendizado para quem quer aprender muito obrigado pela ajuda oooobbriririririgadada

    ResponderExcluir
  12. Olá! Não encontro nenhuma explicação sobre o emprego de preposições e conjunções em casos como: " Tenho de ficar preocupada" e "Tenho que ficar preocupada". Qual colocação é a correta? Por quê?
    Onde posso encontrar respaldo teórico para saber o que é certo e o porquê?

    ResponderExcluir