terça-feira, 21 de agosto de 2012

CARTA ARGUMENTATIVA DE SOLICITAÇÃO


O exercício da cidadania tem mão dupla: por um lado, temos direitos assegurados pelas leis; por outro, temos deveres para com a comunidade e para com a sociedade em geral.
Um dos nossos deveres como cidadão é transformar ou aprimorar aquilo que não vai bem. A alta velocidade de automóveis em certas ruas residenciais, o barulho de fábricas e automóveis em regiões ocupadas por escolas e hospitais, a falta de áreas verdes na cidade, a coleta ineficiente do lixo, a poluição dos rios, das represas e do ar – tudo isso interessa a todos nós, pois nos afeta diretamente. É nosso direito reclamar, mas também nosso dever apontar as falhas, discutir e apresentar soluções.
O texto a seguir, por exemplo, sugere mudanças que melhorem a vida da comunidade.
Leia-o:

Fortaleza (CE), 12 de janeiro de 2010.

Ilmº. Sr. Diretor do Departamento de Trânsito de Fortaleza:

Nós, moradores da Rua Jair dos Santos Meneghetti, há anos vimos enfrentando sérios problemas com o trânsito local. Como é de seu conhecimento, a Avenida Olímpio de Souza é uma das mais movimentadas de nossa cidade. Ela concentra um grande número de veículos – incluindo-se, além de automóveis, ônibus e caminhões –, já que conduz o fluxo tanto ao centro da cidade quanto às rodovias que levam a cidades vizinhas.
Mesmo havendo duas pistas em cada sentido da Avenida Olímpio, é comum alguns veículos, na altura do número 1.500, tomarem nossa rua como atalho. Isso se deve a duas razões: primeiramente porque, nos horários de pico, é normal o trânsito fluir mais lentamente: em segundo lugar porque, mais à frente, na altura do número 1700, existe um semáforo que sinaliza o cruzamento da Rua Sílvia Arante com a Olímpio. Os motoristas, quando estão na altura do número 1.500, conseguem avistar o semáforo e, se ele está fechado, não hesitam em tomar a Jair dos Santos como atalho e sair já no número 1.900 da Avenida Olímpio.
O resultado não poderia ser diferente: poluição do ar, barulho insuportável de motores e buzinas, riscos constantes para nossas crianças, insegurança, em virtude da constante circulação de pessoas estranhas ao local, má qualidade de vida.
Lembramos a V. S.ª que a Rua Jair dos Santos Meneghetti é predominantemente residencial e não comporta tal tipo de tráfego. Além disso, na campanha política do atual prefeito, que V. S.ª naturalmente apoiou, uma das propostas defendidas era a preservação da qualidade de vida da cidade. Eis uma oportunidade de concretizar essa proposta, tomando-se uma destas medidas práticas que ora sugerimos:

a) Inverter a mão da Rua Jair dos Santos Meneghetti, que atualmente vai do número 01 para o número 225, ou

b) Colocar três quebra-molas ou lombadas ao longo da Rua supracitada.

Acreditamos que a adoção de uma dessas soluções – que custariam pouco e poderiam ser efetivadas em no máximo dois dias – resolverá o problema de uma vez e conseguirá devolver-nos a tranquilidade que tínhamos no passado e a que temos direito ainda hoje. Para V.S.ª e para o Departamento que dirige, será também a oportunidade de se integrar às reais necessidades da população, cada vez mais conscientes de seus deveres e direitos.
Certos de sua atenção, agradecemos.

Moradores da Rua Jair dos Santos
                 
O texto lido é uma carta que solicita das autoridades competentes algumas medidas que melhorem a qualidade de vida da população. Para fundamentar o pedido, apresenta argumentos, explicações, etc. A esse tipo de texto chamamos carta argumentativa de solicitação.
Como carta que é, apresenta os elementos essenciais do gênero, porém seu assunto é a apresentação de um problema (no caso da carta lida, o trânsito da Rua Jair dos Santos Meneghetti) e a solicitação de medidas que o resolvam ou o atenuem.
Como o remetente (ou signatário) precisa convencer seu destinatário, é necessário identificar bem o problema e suas causas (trânsito intenso e semáforo no cruzamento da Rua Sílvia Arantes), reunir argumentos que sensibilizem o destinatário (qualidade de vida, rua residencial, perigo para as crianças) e, se possível, apresentar soluções possíveis (inversão de mão ou instalação de quebra-molas ou lombadas).
A conclusão da carta é feita com uma saudação formal – como “Sem mais para o momento, agradecemos”, “Confiantes de seu empenho para a solução de nosso problema, agradecemos”, etc. – e com a assinatura, em que são identificados com clareza os autores da carta.
Como esse tipo de carta é endereçada normalmente a autoridade de instituições, empresas ou órgãos públicos, a linguagem deve seguir o padrão culto e formal da língua, observando rigorosamente o uso dos pronomes de tratamento.

Características da carta argumentativa de solicitação:

       Data, vocativo, corpo do texto e assinatura;
       Identificação do problema e suas causas;
       Exposição de argumentos que comprovem a necessidade de uma solução para o problema, vantagens que essa solução traria;
       Sugestões de possíveis medidas para a solução do problema;
       Agradecimentos, assinatura;
       Linguagem formal, atenta às normas do padrão culto; rigor no emprego de pronomes de tratamento.

2 comentários:

  1. Olá, parabéns pelo material postado. Fico grata pelas informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A exlicação é clara entendi bem.

      Excluir